SSS Fardamentos Serrinha

SSS Fardamentos Serrinha

TERRENO

NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO DUAS TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS (
Contato com Cival Anjos: 75-99121-4433)

sexta-feira, 7 de janeiro de 2022

Sem cargos públicos, Lula, Ciro, Moro e presidentes de partidos ganham em média R$ 20 mil por mês

Sem ocupar cargos públicos e com as atenções voltadas para a construção das candidaturas à Presidência deste ano, três pré-candidatos ao Planalto recebem salários acima de R$ 20 mil de seus partidos. 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o ex-juiz Sergio Moro (Podemos) são remunerados para exercer funções partidárias e recebem ainda orientação jurídica e de marketing pagos pelas legendas. Especialistas apontam para a necessidade de maior transparência das siglas sobre os valores gastos com pessoal e serviços prestados.

A lei eleitoral não proíbe que os partidos políticos tenham em suas folhas de pagamento políticos sem cargos eletivos e não estabelece um teto de gastos de uso do fundo partidário, formado de recursos públicos, doações e outras formas de arrecadação, para o pagamento de salários. Recém filiado ao Podemos, Moro receberá um valor bruto mensal de R$ 22 mil durante o ano eleitoral. Já Lula e Ciro, os dois postulantes mais ativos na vida partidária, ganham cerca de R$ 22,8 mil e R$ 21,3 mil mensais.

Além dos presidenciáveis, outros nomes se destacam entre os "funcionários" dos partidos ou como prestadores de serviço. É o caso do ex-deputado federal Roberto Jefferson, que era remunerado com R$ 23,2 mil mensais enquanto presidente do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Alvo de inquérito que apura a atuação de uma milícia digital, o aliado do presidente Jair Bolsonaro (PL) está preso desde agosto por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes.

O pagamento de salários é comum aos presidentes nacionais das legendas. Outro nome próximo do presidente, Valdemar Costa Neto, condenado no esquema do mensalão e presidente do novo partido de Bolsonaro, ganha, em média, R$ 24 mil mensais do PL. Carlos Lupi (PDT) (R$20,6 mil), Carlos Siqueira (PSB) (R$28,6 mil) e Roberto Freire (Cidadania) (R$28,7 mil) também são remunerados pelos serviços prestados às legendas.

De acordo com o PT, Lula recebe remuneração por "exercer funções de direção partidária" e ocupar o posto de presidente de honra do partido. Já o Podemos explica que Moro é vice-presidente estadual do partido, no Paraná, desde 10 de novembro.

Não há um teto de remuneração para salários de dirigentes e políticos pelos partidos. As siglas podem usar até metade (50%) do valor que recebe do fundo partidário com a folha de pagamento de pessoal no âmbito dos diretórios nacionais. Para as instâncias municipal e estadual, o limite é de 60%.

Pré-candidatos à presidência:

Lula (PT): R$ 22.816,51

Ciro Gomes (PDT): R$ 21.316,45

Sergio Moro (Podemos): R$15 mil

Presidentes de partidos:

Carlos Lupi (PDT): R$ 20.265,89

Valdemar Costa Neto (PL): R$ 24.834,46

Carlos Siqueira (PSB): R$ 28.648,44

Roberto Jefferson (PTB): R$ 23.245,5

Roberto Freire (Cidadania): R$ 28.743,37

Antonio Carlos Bosco Massarollo (PMN): R$ 14.310,18

Do Portal Clériston Silva


Nenhum comentário: