SSS Fardamentos Serrinha

SSS Fardamentos Serrinha

TERRENO

NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO DUAS TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS (
Contato com Cival Anjos: 75-99121-4433)

sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Governo federal define datas para Enem 2022

Governo federal define datas para Enem 2022
Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, em meio às férias, surpreendeu técnicos do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) ao anunciar a aplicação do Enem 2022 nos dias 13 e 20 de novembro. As datas foram anunciadas na noite desta quinta-feira (20) após o jornal Folha de S.Paulo publicar que o exame ocorreria nos dias 6 e 13 de novembro. Integrantes do Inep trabalhavam com essas datas, sem previsão de mudança.
 

O anúncio do ministro não era esperado por funcionários do órgão consultados pela reportagem e os técnicos não tinham conhecimento das novas datas.
 

O Enem é a principal porta de entrada para o ensino superior. É usado como vestibular para a maioria das universidades federais, para parte das vagas de estaduais como a USP (Universidade de São Paulo) e também critério para acesso a programas como o Prouni (Programa Universidade para Todos) e Fies (Financiamento Estudantil).
 

As provas devem ocorrer após as eleições, como é comum em anos eleitorais. O exame direcionado para privados de liberdade está marcado para 13 e 14 de dezembro, segundo informações de técnicos do órgão. Nesta aplicação também fazem candidatos que tiveram algum problema nas provas iniciais.
 

O ministro também anunciou no Twitter que uma portaria com o calendário das avaliações de 2022 será publicada nesta sexta (21) no Diário Oficial da União.
 

Sob o governo de Bolsonaro, o Enem tem sido alvo de pressões para interferência em seu conteúdo. O objetivo seria alinhar a prova à diretriz ideológica de Bolsonaro, que tem críticas acumuladas a questões supostamente de esquerda ou inadequadas.
 

Reportagem da Folha de S.Paulo mostrou, entretanto, que questões que foram alvo de Bolsonaro e conservadores foram eficientes para avaliar conhecimento dos participantes.
 

O embate ideológico é a principal marca do governo na educação e há disposição para barrar temas no Enem que desagradam o presidente e apoiadores, como questões de gênero e da ditadura militar (1964-1985) —o período, elogiado por Bolsonaro, não mais foi abordado desde 2019.
 

Bolsonaro chegou a pedir para o ministro da Educação, Milton Ribeiro, questões que tratassem o golpe de 1964 por revolução, em consonância com o revisionismo histórico que ele e apoiadores defendem.
 

Uma portaria do Inep estabelecia uma espécie de "tribunal ideológico", com a criação de uma nova instância permanente de análise dos itens das avaliações da educação básica. A ideia foi abortada depois da má repercussão.
 

Às vésperas do Enem de 2021, o Inep passou por uma crise histórica, com a debandada de servidores de postos-chave, denúncias de interferência no conteúdo do exame e de assédio moral.
 

O Inep trocou um de seus diretores nesta quarta-feira (19) como retaliação à situação, segundo relatos. Mais exonerações são esperadas.
 

O órgão tem efetivado a exoneração de cargos dos demissionários do ano passado. Nesta quinta (20), três desses servidores foram desligados oficialmente de funções gratificadas, mas ainda não houve reposições até agora.
 

O Enem 2021 foi marcado por baixo número de inscritos e participantes. A edição foi ainda a mais excludente da história, com a menor proporção de inscritos pretos, pardos, indígenas e pobres.
 

Parte desse cenário é atribuído por congressistas e especialistas ao próprio MEC. Ministro da Educação, Ribeiro negou-se a estender no ano passado gratuidade a faltosos do exame no ano anterior, realizado em meio ao avanço da Covid-19.
 

Na aplicação regular, fizeram de fato o exame 2.179.559 pessoas. Na prova impressa, a abstenção foi de 29,5%. Já na aplicação digital, que teve 69 mil inscrições confirmadas, a taxa de faltosos foi de 50,1%.
 

Os resultados dos participantes estarão disponíveis em 11 de fevereiro, segundo o Inep.
 

As inscrições para o Sisu (Sistema de Seleção Unifica) começam no dia 15 de fevereiro e vão até 18 do mesmo mês. Já o prazo de inscrição para o Prouni será de 22 a 25 de fevereiro. No início de março, do dia 8 ao dia 11, será a vez do processo de inscrição no Fies.


Do Portal Bahia Notícias/por Paulo Saldaña | Folhapress

Nenhum comentário: