Prefeitura de Serrinha

SSS Fardamentos Serrinha

SSS Fardamentos Serrinha

TERRENO

NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO DUAS TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS (
Contato com Cival Anjos: 75-99121-4433)

quarta-feira, 13 de julho de 2022

Cenário mudou: paraguaios atravessam fronteira para abastecer mais barato no Brasil

Imagem: Reprodução/g1

Após moradores de Pedro Juan Caballero (PY) cruzarem a fronteira para abastecer com gasolina do lado brasileiro, em Ponta Porã (MS), postos sofreram com a falta de combustível por algumas horas na terça-feira (12). Há registros de filas quilométricas de carros em busca de combustíveis mais baratos no Brasil.

A situação é inusitada, antes, os moradores na linha de fronteira entre Brasil e Paraguai buscavam pelos postos de combustíveis paraguaios para abastecer os veículos. Contudo, com a redução da alíquota de ICMS na semana passada, o combustível está mais barato em Mato Grosso do Sul do que nos postos paraguaios, o que aumenta a demanda.

Conforme apurado, postos de Ponta Porã tiveram o aumento de 50% no movimento nas últimas semanas, sendo que na tarde desta terça-feira (12) postos da área central ficaram sem gasolina por causa da procura bem acima da média. Em alguns deles, o estoque só foi regularizado horas depois, com gasolina enviada por outra filial.

Comerciantes da fronteira relataram que nunca viram uma situação como essa. Em média, os postos em Ponta Porã estão R$ 0,60 mais baratos do que os de Pedro Juan Caballero.

Ao g1, o economista Michel Constantino explicou que os postos de combustíveis brasileiros já sentem o reflexo da redução dos impostos Enquanto no Paraguai, o que tem afetado o preço elevado é a alta no dólar e a falta de reduções.

“O cálculo dos combustíveis, internacional, principalmente no Paraguai, também leva em conta o dólar. Como o país não teve redução de impostos, os preços continuam altos no país vizinho. Com o incentivo maior no Brasil, os carros procuram o país para abastecer pelos preços mais baixos”, detalha o economista.

Do Portal NS/Fonte: g1 MS

Nenhum comentário: