SSS Fardamentos Serrinha

SSS Fardamentos Serrinha

TERRENO

NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO DUAS TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS (
Contato com Cival Anjos: 75-99121-4433)

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

Polícia Civil do Rio indicia Ramírez, do Bahia, por injúria racial contra Gerson

Polícia Civil do Rio indicia Ramírez, do Bahia, por injúria racial contra Gerson
Foto: Reprodução / Premiere

A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou nesta quinta-feira (4) o jogador Juan Ramírez, do Bahia, por injúria racial contra o jogador Gerson, do Flamengo. No jogo entre os dois clubes no último dia 20 de dezembro, o atleta do Rubro-negro acusou o colombiano de ter dito "cala a boca, negro" durante uma discussão. De acordo com o Ge.Globo, a Justiça vai avaliar se apresenta a denúncia.

 

"Tenho vários jogos pelo profissional e nunca vim na imprensa falar nada porque nunca tinha sofrido preconceito, nem sido vítima nenhuma vez. O Ramirez, quando tomamos acho que o segundo gol, o Bruno fingiu que ia chutar a bola e ele reclamou com o Bruno. Eu fui falar com ele e ele falou bem assim para mim: 'Cala a boca, negro'. Eu nunca falei nada disso, porque nunca sofri. Mas isso aí eu não aceito", afirmou Gerson em entrevista após a partida, vencida pelo Flamengo por 4 a 3.

 

No dia seguinte ao jogo, a Polícia Civil instaurou inquérito para apurar a denúncia. De acordo com nota enviada, a polícia informou que todas as testemunhas foram ouvidas e a súmula do jogo e imagens apreendidas comprovam a indignação imediata de Gerson.

 

Ainda de acordo com a polícia, os companheiros do jogador afirmaram que ele ficou muito abalado com o que foi dito, passando a apresentar comportamento diferente do normal no vestiário. De acordo com o relator, Gerson ficou cabisbaixo e se recusando a encontrar os jogadores do elenco flamenguista.

 

A nota informa ainda que Ramirez negou a injúria racial, afirmando que apenas disse: "Joga rápido, irmão". A polícia também afirmou na publicação que "o conjunto probatório coligido em sede policial corroborou toda a dinâmica do fato e versão da vítima, desde o momento que disse ter sofrido a agressão injuriosa por preconceito até seu comportamento após o término da partida".

 

Na última quarta-feira (3), o ex-técnico do Bahia Mano Menezes e Ramírez prestaram depoimento virtual ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Por outro lado, Gerson, o meia Bruno Henrique e o zagueiro Natan não compareceram para depor.


Do Portal Bahia Notícias

Nenhum comentário: