SSS Fardamentos Serrinha

SSS Fardamentos Serrinha

Jaqueline da Rádio agradece os 623 votos

TERRENO

NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

VENDE-SE UM TERRENO MEDINDO DUAS TAREFAS. TABULEIRO ÓTIMO PARA CHÁCARA PRÓXIMO À CAIXA D'ÁGUA EM BANDIAÇU, CONCEIÇÃO DO COITÉ-BA, COM ÁGUA ENCANADA, ENERGIA ELÉTRICA E INTERNET PRÓXIMAS (
Contato com Cival Anjos: 75-99121-4433)

quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Promotor ri ao dizer que ‘mulherada está apanhando’ na pandemia; MP avalia caso

 Corregedoria-Geral do MP vai avaliar o caso | Foto: Charles Guerra/Arquivo

Corregedoria-Geral do MP vai avaliar o caso | Foto: Charles Guerra/Arquivo

A Corregedoria-Geral do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) afirmou na terça-feira (1º) que vai avaliar o caso de um promotor de Justiça que riu ao dizer “a mulherada está apanhando pra c*” em um vídeo filmado durante o intervalo de uma aula online. O promotor em questão, Jonnathan Kuhnen, que atua em São José, na Grande Florianópolis, confirmou o vídeo e disse que é aluno de doutorado em Direito e estava em um “momento informal”. Ele também afirmou que quem fez a filmagem “se aproveitou para tentar denegrir a imagem daqueles que estavam ali”.

O vídeo mostrou um celular, que transmitia o intervalo da aula, no sábado (29). Na transmissão, o promotor afirmou “a mulherada está apanhando pra c*” e riu. Outros colegas também riram. Em seguida, o promotor disse “o que é ruim, eu fico triste, né, porque… Não dá, é porque é uma situação também sui generis, né, amigos? O cara tá em casa direto. Aí qualquer coisinha é um motivo para… né?”.

Outro colega intercedeu: “não justifica, né, mas enfim”. O promotor continuou “não justifica, mas assim, ó, até o cara bota um negócio aqui, a mulher diz ‘não, bota a almofada ali’. Só ali já é um motivo”. A fala gerou mais risadas dos colegas.

Em entrevista ao G1, o Kuhnen afirmou que “era um ambiente acadêmico informal, onde no período de intervalo não estava ocorrendo aula e nós estamos conversando acerca de vários fatos”. “Todos nós que estávamos ali conversando era no sentido de que estávamos preocupados, inclusive eu digo que ‘isso me deixa triste'”, continuou. “Havia uma preocupação. Efetivamente estamos em uma situação especial, em que as pessoas ficam em casa. Qualquer motivo pode ser um motivo para uma discussão. Era esse o contexto da conversa”, disse o promotor.

Do Portal NS/Fonte: G1 SC

Nenhum comentário: